Menu Interno


Executivos da operação América do Norte da Marfrig conhecem a produção de carne orgânica da companhia no Uruguai


  • Visita marca o avanço no processo de integração entre as operações América do Norte e América do Sul da Marfrig
  • Unidade de Tacuarembó, no Uruguai, é modelo na produção de carne orgânica

São Paulo, 20 de setembro de 2018 – Uma comitiva de quatro executivos da National Beef, liderada pelo americano Tim Klein, CEO da National Beef e da operação América do Norte da Marfrig, visitou na última terça-feira a unidade da Marfrig em Tacuarembó no Uruguai. Um dos principais objetivos da visita foi a troca de experiências na produção de carne orgânica, um dos mercados de maior potencial de crescimento no mundo. Na visita à Tacuarembó, que produz carne orgânica — livre de hormônios e antibióticos e originária de animais criados em pastos —, Klein e sua equipe foram acompanhados por Marcos Molina, presidente do Conselho de Administração da Marfrig, Eduardo Miron, CEO da Marfrig Global Foods, e por Miguel Gularte, CEO da operação América do Sul, que reúne as unidades do Brasil, Uruguai, Argentina e Chile.

A vinda à América do Sul dos executivos da operação América do Norte, composta pela National Beef, marca o avanço do processo de integração das duas operações da Marfrig, com o compartilhamento das melhores práticas.

As unidades da Marfrig no Uruguai promovem programas de carnes diferenciadas e de maior valor.  O portfólio inclui a carne orgânica, carne bovina Angus certificada, lançada em 2011 com as linhas de produtos Tacuarembó Angus Beef e Tacuarembó Angus Premium Beef, ambos com reconhecimento internacional e aprovados pelos Estados Unidos e União Europeia.  A carne processada no Uruguai, incluindo a unidade de Tacuarembó, é fornecida por fazendas que participam de um clube de produtores certificados, onde os animais são alimentados com pasto, sem hormônios ou antibióticos.

O programa de carne orgânica certificada da Marfrig começou há 18 anos, em resposta à demanda de clientes europeus. Desde o começo, a atuação nesse mercado contou com a parceria de pecuaristas interessados em explorar o mercado de orgânicos. Em 2001, a unidade de Tacuarembó obteve a autorização para exportar para a Comunidade Europeia e, em 2003, foi autorizada pelo Departamento Nacional de Agricultura Orgânica dos Estados Unidos United (NOP-USDA).



Voltar